“Presos como periquitinhos!”

 

A idéia de progresso e desenvolvimento dos nossos urbanistas é transformar ruas pacatas em auto pistas de alta velocidade, criar guetos de consumo em ambientes controlados e higiênicos (shopping centros), e transformar a cidade negativamente com um numero cada vez maior de espaços de trânsito feroz, passagem rápida e fluxo inconsciente – basta um pouco de sensibilidade para perceber o ônus desta limitada compreensão das funções de uma cidade. Curitiba anda pra trás, mais uma vez!!

Isto saiu na Gazeta desta semana:

“Segundo ele, mesmo com o maior número de carros passando, não houve impacto positivo nas vendas. “O problema é que agora os carros passam mais rapidamente e também não têm mais onde estacionar. O barulho do trânsito também está atrapalhando”, diz.

A mesma reclamação é feita pela cozinheira aposentada Maria Miranda, 63 anos. “Quando chega o fim do dia tudo fica congestionado, é muito carro. E nem parece que moro longe do centro, está bem movimentado”, conta. Segundo ela, a mudança tem interferido na tranquilidade da família e limitado a liberdade das crianças. “Tenho dois netos pequenos que jogavam bola na rua com as crianças da vizinhança. Agora eles estão presos em casa como periquitinhos”, lamenta.

http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=845398&tit=Curitibano-conhecera-em-marco-a-cidade-que-nao-esta-no-mapa

Anúncios